A Fúria Feminina!

Ouvindo no Talo!

Rehab termina com Some Unholy War

É isso, desde sábado, dia 23 de julho, os cadernos de cultura e as páginas principais de jornais e sites estamparam o nome de Amy Winehouse. A cantora, que já foi taxada de tantos nomes diferentes, nem está mais aqui para brigar ou levantar polêmica com ninguém.

E foi assim que terminou: sozinha, ela deixou a polêmica para a mídia que sempre fez sua vida um espetáculo… e que agora faz a morte também.

A morte rende muita matéria, principalmente das “celebridades” que ACABAM – literalmente – com a vida contada e recontada, especulações sem fim e perguntas que podem ou não encontrar respostas naqueles que ficam.

Antes desse sábado, qualquer um que ouvisse aquela voz rouca dizendo ‘no, no, no’ chegaria ao nome de Winehouse como uma moça jovem, dependente de drogas e álcool, sem nenhum vínculo familiar forte e com alguns relacionamentos amorosos bem mal-sucedidos. Além dos escândalos, é claro.

Agora, os editores reviraram a história de Amy e aproveitaram o momento. Arrisco até afirmar que alguns dizem “até que enfim morre uma celebridade!”, porque isso dá assunto. Quem acompanhou os meios de comunicação viu reportagem na TV, várias matérias todos os dias na Folha e no Estadão e muitas fofocas nos portais e revistas de famosos.

Quanto a abordagem, é bem difícil não sentir o tom de fofoca nas notícias, pois a vida de Winehouse sempre foi estereotipada. O site da folha de São Paulo faz manchete sobre o ex-marido e ex-presidiário, Blake Fielder-Civil. “Minhas lágrimas nunca vão secar” é a chamada que poderia muito bem virar algum verso das letras de Amy…

“Todo mundo que me conhecia e conhecia Amy sabia o tamanho do nosso amor. Eu nunca mais vou sentir o amor que senti por ela” ex-marido, Blake Fielder-Civil

Já no blog Arquivo do Estadão, o assunto rendeu uma mostra dos jornais impressos digitalizados com matérias feitas sobre Amy durante boa parte da carreira. Os estereótipos que marcaram a cantora ficam bem claros, mas é uma forma interessante de ver as diferentes visões do veículo em cada reportagem diferente e em épocas diferentes.

Arquivo Estadão 07.07.2008
Arquivo Estadão 09.01.2011

Todo o espetáculo feito em torno da morte de Amy imortaliza definitivamente a vida – mesmo que curta – da cantora. (Como aconteceu com Cazuza, Renato Russo etc etc etc). A dependência química dá margem para a sociedade apontar que são ÍDOLOS DE MAUS EXEMPLOS. Arrisco responder que a mídia é responsável pela fama desses ídolos, durante a vida, quando expõe a intimidade e depois da morte, nos “aplausos” finais.

O taxista e a farmacêutica que aparecem “chorando a morte de seu ‘anjo’” como colocou um jornal nos últimos dias, deveriam contar como foi a infância de Amy e supor que isso tenha algo a ver com os problemas que teve na idade adulta. No entanto, Mitch Winehouse se tornou o “inspirador do talento da filha”.

Mitch Winehouse (à esquerda), pai da cantora, o irmão Alex, o namorado Reg Traviss e Janis, mãe da cantora

Como no post anterior, vale repetir, agora em homenagem: O cabelo estilo anos 80, a maquiagem de olhos pretos bem marcados, o piercing e as tatuagens. Amy foi uma mulher que colocou para fora um interior com qualidades e defeitos que fazem contraste com seu talento musical.

Rehab termina com Unholy War porque Winehouse tinha um mundo próprio em si, viveu intensamente seus erros, paixões e acertos. Toda a guerra ao seu redor foi construída com o julgamento feito pela sociedade: na própria família, em valores padronizados e mais tarde até mesmo nos fãs.

A guerra esteve nela, que seria fiel, todo tempo: Winehouse que transpôs sua vida em músicas.

In memorian, ficamos Ouvindo no Talo!  versão inédita de Some Unholy War  com Amy Winheouse!!!

Lilian Figueiredo

Juliana Baptista

Anúncios

Dia Mundial do Rock

Hoje, 13 de julho, mais conhecido como dia mundial do rock. Claro que o TPMídia não podia deixar de fazer sua homenagem a algumas personalidades femininas que marcaram o cenário rock n’ roll.

The Donnas é um grupo de hard rock formado em1993.Amigas desde o ginásio, aos 14 anos começaram a ensaiar e provocar a todos com suas letras e seu som pesado e irreverente. Inicialmente a banda se chamava Ragady Anne, dois anos mais tarde, mudam o nome para The Donnas. Brett Anderson, Allison Robertson, Maya Ford, e Torry Castellano alcançaram o sucesso com o álbum American Teenage Rock And Roll Machine.


Bikini Kill foi uma banda de punk rock dos anos 90 formada por Kathleen Hanna, Tobi Vail e Kathi Wilcox e tinham o intuito de lançar um fanzine, também chamado Bikini Kill. Liderado por Kathleen Hanna quem escreveu a maioria das canções, acabou se tornando uma das maiores banda entre o cenário das riot grrrls. Kathleen e o Bikini Kill não estavam preocupados em vender uma imagem, mas sim, uma mensagem feminista de fortalecimento e crescimento num cenário dominado pelos homens. A música pode ser classificada como punk, mas a música do riot grrrl é feminista e direcionada às jovens, transmitindo auto-respeito e união e pregando o respeito a cada indivíduo.

A idéia de formar o L7 surgiu em 85 quando Suzi Gardner conheceu Donita Sparks em Los Angeles. Em 1986, depois de muitos ensaios, a banda se consolidou e  Jennifer Finch se tornou a baixista do recém formado L7. A partir daí a banda passa a fazer vários concertos em clubes da cidade, com Suzi e Donita nos vocais e guitarras, Jennifer no baixo e o baterista Roy Koutsky completando a formação. A banda se desfez em 2000, mas seu fim não foi declarado oficialmente pelas integrantes.

Garbage foi formado em 93 e integrada por Shirley Manson, Butch Vig, Steve Marker e Duke Erikson. Bem antes de se iniciar o Garbage, três de seus integrantes já tinham uma vasta experiência com música. Butch Vig, o baterista, teve a maior notoriedade no meio sendo produtor de álbuns excepcionais como Nevermind (Nirvana), Siamese Dream (Smashing Pumpkins) e Dirty (Sonic Youth). Steve Marker e Duke Erikson também eram produtores. Porém o Garbage só foi tomar forma mesmo, após a entrada de Shirley Manson em 1995. Os garotos acabaram conhecendo Shirley pelo programa 120 Minutes da MTV americana, tocando com o Angelfish.

 

Patti Smith é uma poetisa, cantora e musicista norte-americana. Ela tornou-se proeminente durante o movimento punk com seu álbum de estréia, Horses em 1975. Conhecida como “poetisa do punk”, ela trouxe um lado feminista e intelectual à música punk e tornou-se uma das mulheres mais influentes do rock and roll.

 

Debbie Harry ganhou fama por ser a vocalista e líder da banda Blondie. Após o despertar ao sucesso, Deborah desenvolveu carreira solo como cantora, gravando cinco álbuns e também como atriz, atuando em mais de 30 filmes.

Siouxsie & The Banshees  foi uma banda britânica formada em Londres em 1976. A base principal do grupo era a parceria nas composições de Siouxsie Sioux e Steven Severin. Alguns críticos consideram como a banda de pós-punk mais importante a surgir no cenário musical britânico.  A banda se separou em 1996 em meio a um crescente número de desentendimentos entre Siouxsie e Severin.

Suzi Quatro nasceu em uma família católica e musical, em Detroit e começou sua carreira musical aos quatorze anos. Já tocou baixo nas bandas femininas Pleasure Seekers e Cradle com suas irmãs Patti, Nancy, e Arlene. Patti Quatro mais tarde se juntou à banda Fanny, uma das primeiras bandas de rock só com mulheres para ganhar a atenção nacional. Suzi Quatro mudou-se para o Reino Unido em 1971, após ser descoberta em Detroit pelo produtor musical Mickie Most.

Kittie foi formada em 1996, mas só conheceu o sucesso em 1999, quando a faixa Brackish tornou-se um hit único. A banda também apoiou, durante o início da década de 2000, o Slipknot em turnê pelo Reino Unido, abrindo-lhes vários concertos aumentando a popularidade da banda.

Gathering – Em 1989 os irmãos René Rutten e Hans Rutten juntaram-se a Bart Smits para formar uma banda. Mais tarde a formação ficou completa com a entrada de Hugo Prinsen Geerligs,Jelmer Wiersma e Frank Boeijen. Em 1995 Anneke van Giersbergen entra para a banda e eles lançam seu terceiro álbum. Em 2006 é lançado o álbum Home, com sonoridade etérea e em grande parte sintetizada. Anneke van Giersbergen ganha um Devil Award, na categoria de melhor cantora. Em 2007 Anneke deixa a banda para se dedicar a um novo projeto chamado Agua de Annique. Apesar de rumores a respeito de uma possível volta aos vocais masculinos, a cantora Silje Wergerland é escalada para o posto.

Gostaria de ter citado muitas outras mulheres e bandas como exemplo, mas daí o post ficaria imenso! Antes tarde do que nunca, a homenagem do TPMídia ao Dia Mundial do Rock \m/

Juliana Baptista

Juliana Baptista

Os casais do mundo da música

Tina e Ike Turner

Tina e Ike TurnerTina conheceu Ike aos 17 anos quando entrou para a banda dele como backing vocal. Logo se tornaram Tina e Ike Turner e a dupla conquistou um enorme público com seus hits. Se casaram em 1962 e tiveram um filho em 64, Roonie. Após 18 anos de casamento, Tina se separou de Ike alegando que ele era viciado em drogas e muito violento. Dele, Tina apenas exigiu o sobrenome artístico, Turner. Tina e Ike não estão mais juntos, mas as suas músicas fazem sucesso até hoje como Proud Mary e River Deep e Mountain High

Courtney Love e Kurt Cobain

Courtney Love e Kurt Cobain

Kurt Cobain, líder do Nirvana e Courtney Love, vocalista do Hole começaram seu relacionamento no início dos anos 90. Kurt e Courtney foram um casal polêmico e até hoje, muita gente responsabiliza Courtney pelo declínio do Nirvana. Muitos fãs acreditam até na hipótese de que Kurt não se suicidou e que Courtney foi responsável por sua morte.

Eles tiveram uma filha em 1992, Frances Bean Cobain, que atualmente tem 19 anos.Depois da morte de Kurt Cobain, Courtney arrumou vários namorados, mas até hoje não se casou novamente.

Brody Dalle e Josh Homme

Brody Dalle e Josh Homme

Brody Dalle, vocalista do Distillers ainda é muito associada à Tim Armstrond do Rancid, quem a lançou no mundo da musica e teve um relacionamento muito durante muitos anos.

Porém, em 2003 o relacionamento acabou e ela conhece Josh Homme, o guitarrista do Queens of the Stone Age.Brody e Josh tiveram uma filha em 2006, Camille Homme. Brody atualmente está na banda Spinerette e Josh é o único membro remanescente da formação original do Queens of the Stone Age.

Yoko Ono e John Lennon

Yoko Ono e John Lennon

Em 1966 John Lennon conheceu a artista plástica, Yoko Ono. Mas só apenas em 1968, depois do divórcio de Lennon, que eles começaram um relacionamento sério. Os outros membros dos Beatles não gostavam de Yoko e muitos fãs atribuem a ela a culpa da banda ter acabado.

Lennon e Yoko protestaram juntos contra a guerra do Vietnã. Em 69 se casaram e promoveram o Bed In, um protesto pacífico contra a guerra e a favor da paz e do amor.Yoko Ono e John Lennon gravaram algumas músicas juntos, e em 75 nasceu o filho do casal, Sean Lennon. Depois do assassinato de John em 1980, Yoko nunca mais se casou e até hoje leva o nome do marido em suas ações promovendo a paz.

Fernanda Takai e John Ulhoa

Fernanda Takai e John UlhoaFernanda Takai e John Ulhoa, integrantes do Pato Fu se conheceram em 1992 quando ele a convidou para entrar em sua banda. São casados há 12 anos e desse relacionamento, tiveram Nina, que hoje tem 4 anos. Fernanda fez shows até os sete meses de gravidez e depois de ter dado à luz, continuou gravando com o marido no estúdio da sua casa. Fernanda e John dizem que conseguem ter uma vida amorosa e profissional juntas porque um complementa o outro. E o Pato Fu é a prova disso tudo!

Beyoncé e Jay-Z

Beyonce e Jay Z

Beyoncé e Jay-Z é outro casal famoso no meio musical. A cantora e o rapper já estavam flertando há muito tempo, mas o casamento dos dois é recente. Mais do que marido e mulher, Beyoncé e Jay-Z são também parceiros na música. Várias canções da dupla entraram aos montes nas rádios americanas.

Foi no ano de 2002 que Beyoncé e Jay-Z começaram a namorar. Mas o fato só deixou de ser boato em 2008, quando eles se casaram.Parece que o casal está muito bem junto. Senão, de qualquer forma pode-se dizer que os dois talentos têm uma grande química.

Gwen Stefani e Gavin Rossdale

Gwen Stefani e Gavin RossdaleEla, vocalista do No Doubt. Ele, ex-vocalista e guitarrista da banda Bush. Esses são Gwen Stefani e Gavin Rossdale. Os dois se conheceram durante o auge das duas bandas e depois de anos de namoro, a cantora bateu o pé e exigiu que o namorado a pedisse em casamento. E o rapaz aceitou.

Courtney Love tentou causar algumas intrigas no relacionamento dos dois, afirmando que ela já teria dormido com Gavin, mas Gwen não deu a menor bola pra Courtney. Depois de alguns anos de alianças trocadas, veio ao mundo o primeiro filho do casal, em maio de 2006. E em agosto de 2008, nasceu o segundo filho de Gwen e Gavin.O que o casal tem em comum? O amor pela música, pelo rock, e claro, um pelo outro.

Nicole Appleton e Liam Gallagher

Nicole Appleton e Liam Gallagher

E aí vem mais um romance do meio musical: Nicole Appleton e Liam Gallagher.Logo depois de se separar da sua primeira esposa, o integrante da banda Oasis começou um relacionamento com a cantora das All Saints.

Foi no ano de 2001 que o casal teve seu primeiro e único filho. Liam e Nicole não formalizaram a união, mas pouca gente duvida do amor dos dois. Liam chegou até a dedicar a música Songbird para ela. E os dois cantores tem mais em comum do que parece à primeira vista. As All Saints disputavam o cenário musical dos anos 90 com as Spice Girls. E, coincidência ou não, Liam não simpatizava nem um pouco com o quinteto britânico. Coincidência? Pode ser… Ou não.

Amy Winehouse e Blake Fielder-Civil

Amy Winehouse e Blake FielderAmy Winehouse e Blake Fielder-Civil com certeza foi o relacionamento mais conturbado dos últimos anos. No dia 18 de maio de 2007, a cantora inglesa Amy Winehouse se casou com o ator americano Blake Fielder-Civil. Mas parece que o rapaz não foi uma influência muito boa para Amy.

Depois de acusado de ter ferido James King, em 16 de julho de 2009 o casal rompe o casamento. Motivo? Acusações de traição. Estava rolando alguns boatos sobre uma possível reconciliação dos dois. Mas Amy está namorando o diretor de cinema Reg Traviss, e ao que tudo indica, os dois estão muito bem, obrigado.

June Carter e Johnny Cash

June Carter e Johnny Cash

Para finalizar, um dos casais mais lindos do mundo da música: Johnny Cash e June Carter. Eles se conheceram quando Cash começou a ganhar fama e se apaixonaram a primeira vista. Johnny se divorciou de sua primeira esposa para ficar com June e depois disso, tiveram um filho John Carter Cash.

Johnny e June gravaram músicas e álbuns juntos e fizeram muito sucesso na década de 60 e 70. June foi quem ajudou Cash quando ele ficou viciado em drogas e a suaperar o declínio de sua carreira. Johnny Cash e June Carter nunca se separaram, June faleceu quatro meses depois da morte de Cash e foram enterrados um ao lado do outro no Hendersonville Memory Gardens.


Especial anos 80

Cynthia Ann Stephanie Lauper Thornton, mais conhecida como Cyndi Lauper nasceu no ano de 1953, e hoje, com 31 anos de carreira, a cantora nova iorquina já vendeu algo em torno de 70 milhões de cópias pelo mundo e 10 milhões de singles. Iniciou sua carreira no início dos anos 80, e foi nessa mesma década que a cantora atingiu o auge do sucesso.

Em 1983, ela se lançou com o álbum “She’s So Unusual” e conseguiu um enorme sucesso logo com o primeiro single “Girls Just Wanna Have Fun”, seguido pela faixa “Time After Time”, também de grande sucesso. Logo Cyndi Lauper gerou polêmica na mídia quando lançou “She Bop”. A faixa fala sobre masturbação feminina, e causa constrangimento até hoje.

Cyndi também passou a ser muito reconhecida pelos videoclipes muito bem feitos para a época. Enquanto isso, seu estilo nada convencional de se vestir influenciou muitos adolescentes da década. Em 1984, a cantora desbancou alguns ícones da época, como Madonna e Tina Turner. Motivo? Ela foi a primeira cantora do mundo a emplacar 5 hits nas paradas da Billboard. Mesmo depois de três décadas, Cyndi Lauper continua encantando os fãs com seu talento único e energia inesgotável.

Joan JettJoan Jett é o nome da mulher que marcou o rock nas décadas de 70 e 80. Jett começou a carreira musical na banda composta só por mulheres, o The Runaways. Esse foi um grande pontapé inicial, mas foi na década de 80 que a cantora chegou ao auge da carreira.

O segundo álbum solo de Joan Jett com a Blackhearts Band, entrou muito rapidamente na Billboard, graças a “I Love Rock and Roll”, a faixa que leva o mesmo nome do álbum. “I Love Rock and Roll” chegou a ficar na primeira posição do ranking e a música é considerada um clássico do rock até hoje.

Já nos anos 90, Joan Jett passou a se dedicar à sua gravadora particular. Em 2001, Joan anunciou que a banda sairia em turnê pelos EUA.Há pouco tempo, o nome de Joan e das outras integrantes do The Runaways voltaram a ganhar destaque na mídia depois do lançamento do filme bibliográfico da banda. A atriz Kristen Stewart foi quem interpretou Joan Jett nas telonas.

Gloria StefanGloria Maria Milagrosa Fajardo é o nome da garota cubana nascida em 1957, e que hoje tem 31 anos de carreira. Apaixonada pela música desde muito pequena, Gloria passava o dia tocando no violão, as músicas cubanas que o avô ensinava.

Mas com apenas 2 anos de idade, ela e a família foram obrigados a se mudar para os Estados Unidos por razões políticas. Gloria, casando-se mais tarde com Emilio Estefan, ganhou o sobrenome do marido e entrou na carreira musical norte-americana.

No ano de 1985, O single “Conga”, do grupo Miami Sound Machine, em que Gloria era vocalista, garantiu seu registro no “Guiness Book of Records” como o único compacto na história a estar, ao mesmo tempo, nas paradas Pop, Latina, Soul e Dance da revista Billboard.Foi na década de 80 que um dos maiores ícones femininos da música chegou ao auge da carreira.

Quem não se lembra da memorável apresentação que Gloria fez no encerramento das Olimpíadas de 96, cantando “Reach”? Gloria Estefan já vendeu mais de 100 milhões de discos pelo mundo, e está entre os cem artistas com maior número de vendagem de todos os tempos.

E por fim, não poderia faltar um ícone da música nacional: o Kid Abelha! A banda é composta por três membros, mas é a vocalista Paula Toller quem toma a frente do Kid Abelha.Com 21 anos de estrada, a banda gravou ao todo 15 álbuns. Os membros e cariocas, Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato conseguiram a proeza de colocar vários hits no topo das paradas brasileiras.

Paula TollerNo começo da década de 80, o Kid Abelha estreou nas rádios, e dois anos depois lançou seu primeiro álbum, intitulado Seu Espião, que trazia a faixa Pintura Íntima como um dos clássicos. Esse LP foi o responsável por dar à banda o primeiro disco de ouro da década. Desde então, o Kid Abelha lançou um sucesso atrás do outro, marcando geração após geração do público brasileiro. E hoje, o Kid Abelha já soma nove milhões de discos vendidos no Brasil.

Com público ainda muito fiel, pela terceira década consecutiva, Paula Toller, George Israel e Bruno Fortunato continuam produzindo hits marcantes na história do pop-rock nacional. E pelo jeito, ainda vem muito sucesso pela frente.

Iniciando a década de 80, temos um dos filmes que atrai fãs até hoje.

Carrie Fisher

O Império Contra Ataca é o segundo filme da trilogia Star Wars e mostra Luke Skywalker tentando encontrar mestre Yoda para lhe ensinar a dominar sua força e se transformar num cavaleiro Jedi.A princesa Leia, interpretada pro Carrie Ficher, membro da resistência é lembrada até hoje por sua beleza e cultuada no mundo geek.

Flashdance

Em 1983, a jovem bailarina Alexandra Owens, interpretada por Jennifer Beals, encantou e inspirou muitas pessoas em Flashdance. Alexandra trabalhava como operária durante o dia e à noite se entregava às pistas das discotecas, eternizando a música Maniac de Michael Sembello

Footloose

Já em 1984, Kevin Bacon no papel de Ren MacCormack, desafiava os costumes de uma pequena cidadezinha com sua paixão pela dança. E é claro, se apaixona por Lori Singer interpretada por Ariel Moore, que dá forças para enfrentar o durão revendo Shaw Moore.

Clube dos Cinco

No ano seguinte, 1985, cinco jovens infratores precisam passar um sábado no colégio por causa da detenção. Apesar de serem pessoas completamente diferentes, todos acabam se aceitando e fazendo diversas confissões. O Clube dos Cinco ganhou milhares de fãs na época e encantou o público com a delicadeza de Claire Sandish e a rebeldia e Allison Reynolds.

Curtindo a vida adoidado

Um dos maiores clássicos da década, curtindo a vida adoidado é um sucesso desde 1986. Matthew Broderick interpreta Ferris Bueller, um estudante que pretende matar um dia de aula e curtir a folga com seu melhor amigo e sua namorada, interpretada por Mia Sara.

Dirty Dancing

Em 1987 Jennifer Grey no papel da jovem Baby, viaja com os pais e por acaso acaba conhecendo o professor de dança Johnny Castle estrelado por Patrick Swayze. A jovem aprende a dançar, se apaixona pelo professor e precisa substituir sua parceira de palco. Sim, estamos falando de Dirty Dancing, o filme que inspirou diversos casais com a música Time of my life!


E Lady Gaga continua surpreendendo… Born This Way a caminho.

Para aqueles que já sabem, vos lembro. Para os que não sabem, vos aviso: Born This Way, o novo álbum de Lady Gaga será lançado amanhã, dia 23 de maio.

Sim, novamente farei um post sobre Lady Gaga. Motivo? Não, não é porque sou absurdamente fã da cantora. Nem porque ela é autora das mais variadas polêmicas no cenário pop atual. Bom, pelo menos não só por esse motivo.

Primeiro veio o lançamento do single Born this Way. A promoção em cima da música foi absurdamente grande, mas parece que não chegou a agradar tanto quanto era esperado. Depois veio o lançamento de Judas. Aí novamente vieram as comparações de Lady Gaga com Madonna, já que a rainha do pop lançou singles polêmicos que também abordavam figuras religiosas (vide Like a Prayer e Isaac).

Nos últimos dias saiu The Edge of Glory. Divulgação? Quase nenhuma… E olha a controvérsia: o single surpreendeu os fãs, e MUITO! Sim, eu particularmente sinto certa simpatia por Born This Way e Judas, mas confesso que fiquei realmente impressionada quando escutei The Edge of Glory pela primeira vez.

A letra é excepcional? Não. A melodia é absurdamente cativante? Também não. Mas basta ouvir TEOG uma vez só para perceber o tamanho da carga emocional que a cantora colocou na música. É tocante, é arrepiante, sem contar que Gaga tem um talento musical absurdamente grande. Gostem ou não, isso é inegável.

Não ouviu ainda? Então ouça já!

Talvez esse novo CD demore um pouco para cair nas graças do público. Provavelmente porque as músicas de Born This Way fogem um pouco do padrão. Não que este seja composto por sons alternativos ou grotescos. Pelo contrário. Entretanto, a faixa que mais destoa no álbum todo é Judas. É a única música que não cabe muito bem na temática do álbum.

Em contrapartida, senti uma simpatia muito grande por quase todas. Tenho a nítida impressão que Lady Gaga consegue de fato refletir seu verdadeiro íntimo na maioria das faixas de Born This Way. Ela transparece sinceridade, emoção e talento de sobra em “The Edge of Glory”, “You and I” e “Hair”.

Os frankfurtianos (Escola de Frunkfurt) podem dizer que Lady Gaga é uma cantora totalmente inserida nos padrões da indústria cultural. Podem dizer que faz música pra grande massa e que seu grande objetivo é vender. OK, não discordo. Aliás, nem a própria cantora discorda. Mas, sinto lhes dizer que discordo MUITO quando questionam o talento de Gaga. Isso ela tem, e de sobra. Como disse a própria Gaga quando questionada sobre sua originalidade: “Tire minha roupa, meu cabelo, mas não tire o piano que eu te faço chorar”.

“You and I” – AO VIVO

“The Edge of Glory” – AO VIVO

Helena S. Sylvestre