A Fúria Feminina!

Posts com tag “turnê

“Jota Quest 15 Anos na Moral”

Até quem não é muito fã de música nacional se rende ao ”Fácil, extremamente fácil, pra você e eu e todo mundo cantar junto…” Sim, dessa vez escolhi falar dos mineirinhos queridos que desse ‘jeitim’ estão comemorando em 2011 os 15 anos da banda.

Os meninos do Jota Quest apareceram em Belo Horizonte no começo da década de 90 junto com bandas como Raimundos, Planet Hemp e Skank pra agitar o universo rock nacional.  A tentativa era sair da fase ‘Anos 80’, mas essa foi uma mudança que aconteceu aos poucos, mais com cara de adaptação do que contravenção.

É sério! Quem vê os integrantes da banda  usando tênis, calças jeans e camiseta hoje nunca imagina uma foto dessas:

Capa do 1º álbum de estúdio da banda em 1996: J. Quest

O grupo se formou por partes: o baixista Paulo Roberto Diniz Junior, ou só PJ, e o baterista Paulinho Fonseca tinham em comum o gosto musical pelo funk, soul, disco e acid jazz. Na simpatia pela musica black chegou a guitarra de Marco Túlio Lara e o teclado de Márcio Buzelin. E por último – mas não menos importante! – depois de 18 candidatos a voz escolhida foi do analista de sistemas Rogério Flausino.

“A macacada reunida” e estava tudo pronto para o caminho de sucessos que seguem até hoje.

(esq. para dir.) Paulinho Fonseca(bateria); Marcio Buzelin (teclado); Marco Túlio (guitarra); PJ (baixo) e Rogério Flausino (vocal)

E quem não se lembra do desenho Jonny Quest?? É, não é da minha época, mas basta gostar um pouquinho de bons desenhos animados para lembrar do menino loiro e suas aventuras.

Essa criação da Hanna-Barbera Productions foi uma lembrança do baixista PJ que deu origem ao nome do grupo. Ao longo do sucesso, houve algumas mudanças por pequenos (mas muito caros!!) detalhes autorais… Começou como J. Quest (lido Jay Quest) e depois passou a ser o Jota que todos conhecemos…

Algumas histórias também dizem que, por afinidade, em algumas brincadeiras o cantor Tim Maia chamava o grupo de Jota e o nome pegou…

O desenho criado na década de 60 que deu origem ao nome da banda

Muito se fala hoje entre os críticos da música, que da década de 90 até hoje as canções de grande sucesso perderam muito o conteúdo, aquele significado mais ‘profundo e poético das letras’. Nesse sentido, acho que o Jota consegue superar as expectativas, pois faz músicas com certo equilíbrio de significado e melodia que conseguem levar uma mensagem para o público – fãs ou não… Na verdade, acho mais ainda que essa geração da década de 90 ouve coisas diferentes, talvez com mais liberdade, algumas melhores outras não.

Para 2011, parece que os dias melhores da banda chegaram.

Na próxima parada o Jota Quest colocou o pé na estrada e está na turnê “Jota Quest 15 Anos na Moral”. E tem mais, vão marcar presença no Rock in Rio, dia 30 de setembro ao lado de Shakira, Leny Kravitz, Marcelo D2 e outros.

Até hoje, foram 10 discos gravados. Os mineirinhos atingem um público variado, de todas as idades, eclético, que gosta de tudo um pouco. O ritmo que começou quase totalmente soul, hoje ganhou uma cara mais pop, solos de guitarra e bateria, mas sem deixar o estilo próprio e a formação original da banda.

Pra começar a semana de leve, a gente fica por aqui acompanhando a turnê da banda debutante da vez e Ouvindo no Talo o maior sucesso dos mineirinhos do Jota Quest:   “Fácil”

Lilian Figueiredo


U2 no Brasil e as notícias mais fail

Ooi, gente. Eu ainda não tinha mostrado as caras por aqui, então deixa eu começar me apresentando. Eu sou a @nandalogia (ou Fernanda), a amiga que esqueceram de chamar quando o blog foi criado a última integrante do TPMidia. 😀

Sempre que eu começo um blog, meu primeiro post costuma ser sobre alguma banda que eu curto e que fez/fará/quem sabe algum dia no futuro virá a fazer shows no Brasil. Então esse meu primeiro post será, tchan tchan, sobre a “turnê” (que na verdade era pra ser um show só que acabou virando três mas já volto nisso) do U2 no Brasil.

A putaria nessa “turnê” já começou na venda dos ingressos. Quem tentou comprar pelo tickets4fun ou acompanhou o barraco generalizado que se seguiu no twitter deve saber do que eu estou falando. Pra quem teve a felicidade de não passar por isso, o que aconteceu foi que a princípio a banda faria apenas um show, no dia 09/04, no Morumbi em SP. Quando o site abriu para as vendas, porém, todas as pessoas do planeta já estavam dando atualizar na página inicial. Resultado? O site ficou congestionado, caiu, não conectava nem por macumba e quando finalmente voltou ao ar e os meros mortais (tipo eu, assim) conseguimos entrar, todos os setores do show estavam esgotados. Depois de muita gente xingar muito no twitter, os produtores abriram mais dois dias de show, no dia 10 e no dia 13. Não adiantou lá muita coisa, já que a putaria o problema no site continuou sendo basicamente o mesmo. Mas como eu sou foda digdin digdin digdin, eu consegui comprar de uma pessoa em outro site e por preço de custo um ingresso pro dia 10. Não, não era falsificado, eu não fui presa, não confiscaram meu pacote de bolacha Bono (porque eu jamais ia perder essa piada) e deu tudo certo.

Bom, o show em si foi sensacional. E não sei vocês, mas eu também sou muito fã de Muse, então pra mim foi o céu (apesar das pessoas lindas atrás de mim reclamando que Muse não tocou a “música mais famosa, aquela lá, do Crepúsculo!”, mas essas coisas a gente releva). No set list de 1:30 h do U2, quase todos os grandes sucessos foram tocados, com exceção de “Sometimes you can’t make it on your own”, “Electrical storm” e “Original of the species”. Mas longe de mim reclamar, afinal nós até tivemos direito a uma música do album novo, chamada “North Star”, que foi tocada somente no dia 10 (morra de inveja, você com o seu Master Card Platinum que comprou ingresso no pré venda pro dia 9).

Pra não passar o post todo babando ovo pro Bono, falando como foi foda a homenagem para as crianças de Realengo e pra líder política chinesa e invejando a loirinha que subiu no palco durante Beautiful Day, resolvi ficar na minha casa, na minha piscina tomando meus bons drink postar alguns exemplos da cobertura linda que a mídia brasileira deu ao show. VEM GENTE.

DEPILEI O BRAÇO PARA O BONO ASSINAR – DIZ FÃ ANTES DO SHOW DO U2

Essa é provavelmente a notícia mais fail da história das notícias fail. Não basta a pessoa depilar o braço acreditando que vai ser a Katilce 2011, não basta dar uma entrevista ao G1 falando isso, ela ainda compra o ingresso de cambista e não consegue entrar! É muito amor.

BONO VOX DE CARUARU SE PREPARA PARA VER O XARÁ CANTAR NO BRASIL

Eu preciso comentar? Caso você seja a mãe desse menino, MINHA SENHORA, onde diabos vc estava com a cabeça?

KATE HUDSON MOSTRA A GRAVIDEZ AO DEIXAR HOTEL EM SÃO PAULO

Tipo, que bom, né? Fiquei até com medo de ela ter sido abduzida. Ou do filho dela ter sido abduzido. Todos comemora.

FÃ EXPLICA COMO BONO ESCOLHE GAROTA PARA SUBIR AO PALCO

Confesso que eu ri lendo isso. Imaginei uma menina subindo linda no palco, sendo beijada pelo Bono e em seguida sendo convidada a se retirar do local porque se comportou de maneira indevida.

GRÁVIDA, TAÍS ARAÚJO ASSISTE AO SEGUNDO SHOW DO U2

SOPHIE CHARLOTTE DÁ PERDIDO NO EX MALVINO SALVADOR

Essas têm o mesmo nível “não-merecem-que-eu-gaste-caracteres” de relevância.

PREPARE BACALHAU SABOREADO POR BONO EM SÃO PAULO

Será que se ao invés dos bolinhos o Bono tivesse comido os pastéis da dona Jura a gente finalmente teria a receita dessa iguaria?

Essas foram as que eu achei mais fail, mas quem quiser ver mais, é só entrar no site do G1 ou do R7 (recomendo R7, é sempre mais zoado), procurar por U2 e se divertir. Se tiverem mais notícias dessas, deixem nos comentários. Sempre bom ver esses exemplos lindos de jornalismo.

Fernanda Villa

Fernanda Villa