A Fúria Feminina!

No Dia da Imprensa, dê os parabéns!

Bom, você já pode dar os parabéns para as 6 meninas que escrevem nesse blog. E sabe por quê? Pelo simples fato de ontem ter sido o DIA DA IMPRENSA!

Isso mesmo! Desde 2000, no dia 01 de junho comemoramos o dia nacional da imprensa e de todos os profissionais que fazem as informações correrem o mundo, como nós jornalistas!

Pense bem: o que seria do mundo sem as mídias e as informações sendo divulgadas a todo momento? Já imaginou a alienação do povo se as falcatruas políticas não fossem divulgadas, se a manipulação social não fosse colocada em pauta? Já imaginou também se as conquistas e vitórias de nosso país não fossem levadas a todo mundo? Será que ainda pensariam que o Brasil é terra de ninguém e os índios andam nus pelas ruas?

A imprensa tem um papel fundamental no desenvolvimento de um país e para fazer acontecer é necessária a participação de jornalistas! A imprensa é a defensora dos direitos humanos, denuncia as irregularidades e injustiças e é a maior aliada para assegurar os direitos de cada um.

A imprensa no Brasil começou em 1808 com a chegada da família real portuguesa em nossas terras, já que aqui passou a ser a “sede” do Reino. O primeiro jornal editado no Brasil foi a Gazeta do Rio de Janeiro.

Hoje não consigo mais imaginar a vida dos brasileiros sem a Rede Globo, que por mais criticada que seja é a emissora e o grupo que mais exerce influência na imprensa hoje, o impresso O Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e os jornais de cada estado, os portais de notícia como o G1, Terra, UOL, até mesmo as emissoras de rádio, menos utilizadas, mas não menos influentes em algumas regiões do país, enfim…

Comemorar o Dia da Imprensa é comemorar a liberdade de expressão e a certeza da segurança de nossos direitos. É saber que existem profissionais que trabalham todos os dias em prol da não alienação e de levar à população as verdades do nosso dia a dia.

É claro que devem existir resguardas em relação à toda a veracidade da informação, sempre haverá influências editoriais e econômicas nas mídias de todo o mundo, mas vale a importância de mostrar que existe uma imprensa atuante. E que luta pela obrigatoriedade do diploma.

Aliás, a gente já contou por que  decidimos trilhar esse caminho? Não? Então aqui vai:

Helena Ometto – escolheu o Jornalismo aos 13 anos de idade, mesmo sem saber ao certo para onde seria levada. Professoras de português elogiavam seus textos e acreditavam em seu dom, a paixão por escrever aumentava e tinha certeza que aquela era a melhor escolha. Prestou vestibular, passou, teve algumas decepções, mas não se imagina fazendo outra coisa. Minha primeira inspiração foi o casal nacional Fátima e William.

Juliana Baptista: sempre quis a área de comunicação, mais precisamente Audiovisual, mas passou em Jornalismo e foi ver o que era, achou que poderia dar certo. E deu. A aptidão para a escrita falou mais alto. Encontra muitos maus exemplos de jornalistas e isso a motiva a seguir na profissão e ser um exemplo melhor. Como disse:  jornalista não dura pra sempre e a inovação no jornalismo já está acontecendo!

Juliana Rosa: Não satisfeita em ser apenas uma leitora/telespectadora/ouvinte, optou pela profissão para poder compreender todo o processo que envolve o Jornalismo. Por ler coisas a respeito se interessou mais pela profissão. Tem como exemplo de profissional Heródoto Barbeiro. Quer ser ele quando crescer.

Lilian Figueiredo: a dúvida era história ou comunicação. Optou pelo jornalismo por gostar de escrever, de falar e querer mudar o mundo!

Helena Sylvestre: tudo o que diz é que escolheu Jornalismo por instinto, pela vontade não só de conhecer a sociedade, mas poder atingí-la através da informação. Uma inspiração de carreira é o jornalista André Trigueiro.

Fernanda Villa: resolveu olhar a lista de cursos mais concorridos da USP e ficou tipo “oh, jornalismo. Por que não?”. Isso na metade do segundo colegial, quando ainda pensava em direito ou R.I. E também para entrar de graça nos shows. Queria ser o Diogo Mainardi mas ele não é jornalista e tal… Na verdade não sabe o que a inspira. Queria ser o Reinaldo Azevedo, mas com cabelo de preferência.

Gostou?
haha, foi assim!

Parabéns à imprensa, à nós, jornalistas, e também a toda a população que faz as notícias acontecerem!

Helena Ometto

Helena Ometto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s