A Fúria Feminina!

Terapeuta compara o ato de jogar videogames ao vício da cocaína

Terapeuta “Maria do Bairro” Steve Pope

Nesta quarta-feira, o polêmico terapeuta inglês Steve Pope, famoso por se colocar contra o uso de videogames por crianças, voltou a fazer declarações polêmicas, desta vez em uma entrevista ao programa 5Live, da BBC. Segundo Pope, jogar duas horas de videogame impacta o cérebro tanto quanto uma dose de cocaína.

O terapeuta ainda classificou os games como “matadores silenciosos da nossa geração” e que jogos violentos podem inspirar atos de violência da vida real. De acordo com Pope, os jogos são o vício que mais cresce no Reino Unido, e que afeta crianças física e mentalmente. (Via Olhar Digital)

 

Uma dose de cocaína teria o mesmo efeito que 2 horas de games

Inicialmente quando li essa manchete pensei “certeza que esse Pope é um velhote conservador que disputa a atenção dos netos com o videogame”, mas o pior é que ele não é velho. Olhando para a foto, chuto que ele deve ter uns 40 (porém com o pensamento de um dinossauro). Conheço muita gente com essa idade que não é dramático desse jeito em relação à tecnologia! Pensei que todo mundo estava se adequando ao mundo digital independente da idade.

Como defensora dos videogames, a minha geração jogou muito na infância e adolescência (muitos continuam jogando até agora) e não conheço ninguém que teve algum distúrbio psicológico por causa de jogos de videogames. Pra falar a verdade, acho que os games estimulam a concentração, memória, reflexo e raciocínio das crianças. Óbvio que eu não estou aqui para defender que os pequenos fiquem enfiados o dia todo na frente dos consoles ou do computador (é indispensável que as crianças pratiquem esportes e tenham uma vida social, não é necessário nem falar).

Não tem fundamentos afirmar que jogos violentos fazem crianças violentas. Cada jogo tem sua faixa etária, que deve ser respeitada, mas nem por isso os jogos com censura de 16 ou 18 anos fazem com que esses jovens saiam por aí atropelando, roubando ou matando alguém. É clássico acontecer algum fato (isolado) de algum adolescente problemático que comete alguma atrocidade em algum lugar, que logo a mídia coloca culpa no Counter Strike, GTA ou no Marilyn Manson!

 

Não faz mal jogar videogame moderadamente!

Ninguém vê que milhares de jovens jogam esses jogos e não existe uma massa assassina de adolescentes pelo mundo. O videogame é apenas um fator comum, mas ninguém vê desta maneira. Crianças problemáticas são resultados de pais despreparados e um ambiente que faz com que ela tenha um comportamento inadequado, não adianta tentar empurrar o problema pra outro setor.

Querer comparar 2 horas de videogame com uma dose de cocaína é muito exagero. Este terapeuta está tentando colocar os pais desinformados em pânico e gerar alguma polêmica nos lares britânicos. Steve Pope pare de fazer drama e deixe as crianças jogarem!

Juliana Baptista 

Juliana Baptista

 

Anúncios

Uma resposta

  1. Mano, então Mortal Kombat, GTA e Counter Strike viciaram grande parte dos “meros usuários de drogas” das últimas décadas?! Quem vicia quem?! Games ou drogas? Maconha ou Street Fighter? O.o?!
    Será que nos anos 80 o Pitfall dominava a galera? Enduro? Pacman deveria ser a maior viagem alucinógena do Himalaia… imagina, aqueles fantasminhas muito locos correndo de uma bola amarela!
    #queloucura!
    Bom, vou voltar para a labuta! Ainda tenho 3 boots para matar na Aztec! XD

    11 de março de 2011 às 17:58

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s