A Fúria Feminina!

A descoberta de um vinil incrível.

Depois de uma longa demora, finalmente escrevo meu primeiro post, e escreverei a respeito de uma incrível descoberta: o som da banda The Smiths, mais especificamente do vinil “Hatful of Hollow”. Farei um breve histórico da banda para aqueles que não a conhecem:

The Smiths foi uma banda inglesa formada em 1982 na cidade de Manchester, tendo como integrantes Morrissey (vocal), Johnny Marr (guitarra), Andy Rourke (baixo) e Mike Joyce (bateria). Considerada uma das bandas mais relevantes a surgir no cenário britânico de música independente da década de 80 e rotulada como banda de rock alternativo, prefiro rotular como boa música. Foram lançados quatro álbuns de estúdio, diversos singles e compilações. A banda se separou em 1987 devido a desentendimentos entre o vocalista Morrissey e o guitarrista Johnny Marr.

Entre pertences do meu querido e saudoso irmão encontrei alguns vinis, e um destes em especial me chamou atenção, um vinil azul de capa dupla. Já conhecia algumas músicas do quarteto inglês, aquelas famosinhas tocadas nas rádios como “Ask”, “The boy with the thorn in his side”, “How soon is now” e “Heaven knows I’m miserable now“ (estas duas últimas são faixas do vinil), mas quando coloquei o vinil no toca-discos foi uma descoberta incrível ouvir cada canção presente nele. Boas músicas do inicio ao fim.

A coletânea “Hatful of Hollow” lançada em 1984 (aí meus cabelos brancos, kkkkkkkkkkk), é uma compilação de singles e versões de músicas gravadas para shows. Além do delicioso ruído, o disco traz 16 ótimas faixas, citarei algumas, como “William, it was really nothing” a qual da vontade de sair dançando loucamente pelo quarto, e a conhecida “How soon is now?”que ganhou uma versão com outra banda para a abertura do seriado “Charmed” (reprisado pelo canal a cabo Liv), ambas faixas do lado A. Já o lado B traz, a também conhecida, “Heaven knows I’m miserable now”, para sair cantarolando alto por aí, e a última faixa “Please, please, please, let me get what I want” para ouvir em um momento mais tranquilo.

Atualmente não há banda que se compare a qualidade sonora dos The Smiths, e pena que os desendentimentos entre os integrantes puseram fim a uma banda tão excelente. Para quem não conhece, recomendo que busquem conhecer o som da banda, e tenham uma descoberta tão incrível como a minha. E o mais importante: ouçam no talo!!!!!!!!!!!

 

Juliana Santa Rosa

Juliana Santa Rosa

 

Anúncios

Uma resposta

  1. Ótima banda! The Smiths mandaram bem mesmo, formam a referência #1 desse movimento crescente intitulado de “indie”! Muitas vezes me pergunto o que seria do Coldplay sem os Smiths? e o Travis? e quanto ao Verve, ao Radiohead do Pablo Honey e The Bends – não digo tanto o de hoje, nas atuais vibes da psicoldelia eletrônica. E quanto ao Rock brasileiro? e o Violeta de Outono? – banda não tão reconhecida pelo ótimo trabalho feito. E o Renato Russo? é… digamos que ele também teve suas influências.
    Enfim, The Smiths deixou um ótimo legado! Post bem lembrado pela autora, parabéns!
    Ahh… eu acrescentaria mais esse video ao videolist do post: http://www.youtube.com/watch?v=CU8T0lvMUtg
    …mas isso é pq gosto muito dessa música!
    Ahh… Vale lembrar que o Morrisey ainda continua curtindo os louros da fama ganhada ainda nos Smiths! Bom, como pode-se ver no Myspace dele, ele ainda se acha o #bunitãodabaladaindie! Morrissey http://www.youtube.com/watch?v=KKoS5X4SMrY

    valeu!

    10 de março de 2011 às 0:07

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s