A Fúria Feminina!

Lady Gaga na boca do povo (como sempre)

Parece que ultimamente a cantora Lady Gaga anda gerando mais polêmica do que quando começou a “sangrar” no palco do VMA 2009 e quando apareceu vestida de carne (SIM! Pasmem, vegetarianos. CARNE MESMO!)  no VMA 2010. Motivo? O lançamento de Born This Way, o novo single da cantora que prometia ser o novo hino gay do século XXI. Seria essa mais uma bizarrice genialmente criativa na carreira de Lady Gaga? Parece que não, e foi justamente por isso que os fãs ficaram “revolts”.

A letra da música (escrita pela própria Gaga, as always) é ótima, mas a melodia de Born This Way foge bastante do estilo Gaga de ser. Ao que tudo indica, a cantora teve a intenção de “ressuscitar” o pop dos anos 80 e início dos anos 90. Particularmente, achei que a música é empolgante (será que é porque sou pouco viciada em música mofada?), incentivadora e com certeza vai fazer muita gente bater cabelo nas baladas. Mas estão dizendo por aí (mídia, mídia, mídia) que Born This Way tem uma melodia absurdamente parecida com Express Yourself, da Madonna (década de 80). Seria essa uma singela homenagem da nova diva à eterna rainha do pop, seria esse um equívoco dos fãs, ou Lady Gaga teria feito essa semelhança de maneira proposital para gerar a necessária polêmica? Afinal, positiva ou negativamente, a música da cantora foi parar nos TT’s World do Twitter em questão de milésimos de segundo.

Mas o que mais me indigna, é quando dizem que Madonna era autêntica e tinha pelo que realmente lutar. No caso de Express Yourself, é um hino feminista que incentiva a liberdade de expressão feminina. Atualmente, dizem por aí que Lady Gaga é só um produto da mídia sem qualquer valor agregado, já que supostamente as novas gerações são “vazias” e não têm pelo que lutar. Será que isso é verdade? Realmente não temos pelo que lutar? E as identidades? Ou melhor, as perdas de identidade. Onde é que ficam nesse rolo todo? Antes as mulheres lutavam pra ganhar espaço na sociedade, e hoje? Hoje os indivíduos lutam pra encontrarem a si mesmos em uma sociedade na qual padrões são impostos, e o que foge disso é marginalizado. E parece que músicas “auto-ajuda” andam em alta nos últimos tempos. Vide “Firework” da Katy Perry.

Born This Way incentiva a aceitarmos as individualidades e características das pessoas, sejam elas heterossexuais, gays, lésbicas, bissexuais, transsexuais, brancas, negras, orientais, gordas ou magras. É, portanto, uma música com uma letra excepcional combinada com uma melodia colocada em xeque quanto a sua originalidade. De qualquer maneira, gostaria de parabenizar Lady Gaga por trazer à tona palavras de incentivo à aceitação de quem somos e como somos, agrade ao próximo ou não.

Helena Sylvestre

Helena Sylvestre

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s